Palavrão?!

image

 

Estava dando uma olhadinha no nosso “Quem somos” e iniciei uma reflexão após reler o trecho que fala sobre o palavrão preferido de cada uma de nós do Acima do Salto.

Bem, concluí que esses palavrões em alguns casos tratam-se de mera constatação ou até mesmo uma boa indicação, e não ofensa.

Vamos lá: Eu acho que mandar alguém se fuder é algo que proporciona uma sensação de leveza incrível. Contudo, se estivermos falando isso pra uma pessoa  que usa o sexo como profissão, não estamos fazendo nada além do que mandar alguém fazer o seu trabalho, logo, não há que se falar em ofensa. Se estivermos falando pra uma pessoa que há muito tempo não pratica sexo, demonstra nossa preocupação com a saúde sexual do próximo, logo, também não é ofensa e não se aplica em uma situação que exige o uso de um palavrão.

P.S.: Eu sei que o correto é foder, gente. Mas é que fuder, com U, causa mais impacto #sóacho.

Portanto, vamos tentar substituir por vai para a puta que o pariu. Bem, se estivermos tratando de um filho da puta propriamente dito, nada mais é do que mandar o sujeito aos braços de sua mamãe. Logo, não se aplica como palavrão ou ofensa.

Se pensarmos em filho (a) da puta, precisamos analisar o momento da concepção do sujeito. Olha como é complicado usar essa expressão como palavrão!  Melhor evitar se não tiver certeza da árvore genealógica do sujeito. Mas havendo certeza, estaremos diante de mera constatação e não ofensa.

Agora, com vocês, o mais interessante de todos e o queridinho da nossa suuuuuuper fofa Kássia: Caralho.

Bom, para quem ainda não sabia, esclareço que o caralho está superestimado e existem diversas discussões sobre a etimologia da palavra. Intrigada com a sonoridade que o caralho possui e com os efeitos entre os interlocutores, me debrucei sobre o caralho (não vale rir, galera!) e concluí que não há uma corrente majoritária sobre a origem da palavra, mas os estudiosos são unânimes quanto ao seu significado, a saber, órgão sexual masculino, pau.

Pois bem, dito isto, me questiono o motivo pelo qual mandar alguém pro pau é um insulto tão grave. Grande ofensa essa, hein?! “Ei, babaca, vai pro pau!” Hã?! Não faz sentido, gente!

Outra ainda pior: “Vai pra casa do pau!” Oi?! Desde quando o pau é um sujeito dotado de personalidade e tem uma casa?! Faça-me o favor, né?!

Mas ainda assim, acho que é o de maior impacto e melhor sonoridade. Por isso faz tanto sucesso.

Então, depois de tanto refletir sobre a origem de algumas palavras, concluo que o merda ainda está em alta e que certa é a Marceli que elegeu como preferido o cretino.

Pessoal, brincadeiras à parte, esse texto nada mais é do que um alerta pra gente pensar mais antes de falar algumas coisas. Nem sempre se desgastar vai surtir o efeito que a gente deseja no outro. Às vezes só vai fazer mal a nós mesmos #ficaadica #nadúvidausemobosta #meupreferidoagoraéomerda :p

Sempre com objetivo de descontrair,

B.

Anúncios

Um comentário sobre “Palavrão?!

  1. Palavrão em certos momentos é libertador! E que atire a primeira pedra aquele que nunca se sentiu aliviado! Kkkkk

    Para melhor esclarecer…segue esse link maravilhoso para continuar nosso bate-papo! Rs

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s